SEO/SEM

Tendências, novidades, notícias e dicas do mundo do SEO/SEM

SEO/SEM

10 out 2018
1 comentarios

Google Panda: como funciona

1 estrela2 estrelas3 estrelas4 estrelas5 estrelas (ainda sem avaliações)
Loading...

Conhece o Google Panda? Este adorável animal chegou em Fevereiro de 2011 para combater todos os sites de baixa qualidade. Neste post, vamos fazer uma análise profunda ao Google Panda e iremos responder às seguintes perguntas: a sua página está preparada para o Google Panda? Ou, pelo contrário, será bambú para o Panda?

Índice de conteúdo:

O que é o Google Panda?

O Google Panda é uma atualização de algoritmo de classificação dos resultados de pesquisa criado por Navneet Panda (daí o nome). Apareceu pela primeira vez em Fevereiro de 2011 a fim de combater as páginas web de baixa qualidade.

O Google Panda justifica-se pela proliferação massiva de páginas web com conteúdos de baixa qualidade nos anos anteriores à sua criação. Apenas uma ínfima minoria das páginas web que se lançavam tinha uma qualidade decente. E quanto ao resto? Os seus propósitos eram bem simples de entender: posicionar determinadas palavras-chave como fosse nos rankings de pesquisa à base de copiar conteúdo de outros autores ou redigir conteúdo claramente optimizado para terminadas keywords. Mediante estas primeiras posições, conseguiam atrair tráfego à página web, que além de ter conteúdo de baixa qualidade, estavam sobrecarregados de publicidade.

Por este motivo, a Google decidiu “sanear” o conteúdo da Internet atualizando o seu algoritmo. Sem dúvida, são muitos os detratores do Google Panda; são muitos os webmasters que culpam o Panda de ter perdido posições nos rankings de pesquisa… mas nunca se tem em conta as outras páginas que ofereciam conteúdo de alta capacidade para os usuários e que subiram de posição.

E há que ter em conta a experiência do usuário. O Google Panda prioriza aquelas páginas web que contribuem positivamente e acrescentam valor ao visitante. Em poucas palavras: quando realizamos uma determinada pesquisa queremos encontrar aquilo que de que estamos à procura nas primeiras posições. Imagine que está à procura de um Pós-graduação em marketing online, aquilo que deseja é chegar a uma página que cumpra com as suas expetativas: um programa de qualidade, que contemple SEO, SEM, Redes Sociais, Estratégias de Comunicação Online, etc. Agora imagine que, pelo contrário, pesquisa “Pós-graduação em marketing online” e vai parar a uma página sobreoptimizada para estas palavras-chave na qual se fala de um tema completamente oposto (como marketing tradicional, por exemplo)… ir-se-ia sentir enganado, frustrado e iria sair imediatamente da página em questão. Comportamento como este são perseguidos pela atualização do Google Panda.

A minha página web pode estar na mira do Google Panda? Factores a ter em conta

O conteúdo é o rei

Com o Google Panda Content is King… Como usuário, todos gostamos chegar a uma página web que resolve a nossa pesquisa. Noutras palavras, como webmaster deverá oferecer conteúdo original, que acrescente valor, que marque uma tendência e, definitivamente, de qualidade.

O Google Panda não põe fim ao SEP On Page, pelo que poderá continuar a optimizar e a polir os fatores internos de posicionamento web. O que já não é permitido é a sobreotimização. A que nos referimos com isto? Vejamos com um exemplo: imagine que chega a um Pós-graduação em marketing digital e lê:

“O melhor Pós-graduação em marketing digital: aprenda tudo sobre marketing digital no nossa Pós-graduação em marketing digital. Em 9 meses completaré o seu Pós-graduação em marketing digital.” Se a si, como usuário, não lhe gostaria ler tal texto, imagina o que lhe parecerá ao Google Panda…

em relação ao texto, acabaram-se as faltas de ortografia. Nós, usuários, exigimos um conteúdo de qualidade, bem escrito, sem erros gramaticais. E agora o Google Panda também o exige.

Mas nem todo o conteúdo é texto: publica vídeos, imagens e infografias visualmente atrativas e que prendam o usuário. Saiba o que melhorará criando um bom conteúdo:

  • Diminuirá a percentagem de rebound: o usuário chega a uma página com conteúdo de qualidade que lhe acrescenta valor e que o fará permanecer na página;
  • Melhorar a duração média da visita: o usuário vai querer ler o texto completo, visualizar o vídeo, analisar a infografia, melhorando o tempo de permanência na sua página.  
  • Aumentará o número de páginas vistas pelo usuário, já que ao considerar que o conteúdo que lhe ofereceu é de qualidade fará com que queira visualizar novas páginas.
  • Melhorar o social link building. O bom conteúdo tem sempre mais possibilidade de ser partilhado. O usuário votará e partilhará o seu conteúdo nas redes sociais.

O Google Pana tem muito em conta os quatro aspetos anteriores no momento de considerar se uma página web é de qualidade. Por este motivo, será um objetivo primordial melhorar os aspetos anteriores.

Não copie conteúdo

Deverá criar o seu próprio conteúdo. Não vale copiar e colar o que escreveu o ator (se não o faz ao menos reconheça a sua autoria e faça uma hiperligação à página web). Veja desde o ponto de vista do usuário: se chega a uma página web e encontra o que já viu noutra página, será algo que vai acrescentar algo de novo? O Google Panda considera irrelevante oferecer dois resultados com o mesmo conteúdo, pelo que apenas oferecerá aquele que crê ser o original (Atenção! Poderá por vezes enganar-se).

Evite o conteúdo interno duplicado

Segundo os profissionais da Google, o motor de busca não penaliza o conteúdo duplicado interno. No entanto, a maioria de profissionais SEO têm dúvidas razoáveis. O que deve vigiar?

  • Evite duplicar o meta title e a meta description. Cada página deve ter as suas próprias etiquetas.
  • Categorizar o mesmo conteúdo em várias categorias ou etiquetas agora é motivo de penalização. Como tal, hoje em dia não é recomendável publicar o mesmo post em duas etiquetas.
  • Evite ter apenas uma categoria e a homepage. Se púbica o conteúdo numa única categoria estará a duplicar o conteúdo da homepage sem intenção.

A minha página foi penalizada pelo Google Panada… Que devo fazer?

Se de alguma maneira suspeita de que a sua página web está a alimenta o Google Panda, chegou o momento de tomar medidas. Em primeiro ligar terá de refazer a sua estratégia de criação de conteúdos. Recorde: conteúdo de qualidade e não copiado.

Resumidamente: terá de deixar de priorizar os seus próprios interesses e colocar os dos usuários em primeiro.

Envie uma reconsideração ao Google para sair mais rapidamente da penalização. Explique ao Google as mudanças que realizou na sua página web para oferecer um conteúdo de maior qualidade. Ou seja, não envie o pedido de reconsideração ao Google se ainda não corrigiu o motivo da penalização.

Tendência SEO para 17: a atualização 25 do Google Panda

A atualização 29 do Google Panda 4.2 (17 de Junho de 2015) é um update pensado especificamente para obrigar que os e-Commerce ofereçam conteúdo de qualidade. Como usuários, quando queremos comprar um produto, gostamos que na página para a qual o Google nos enviou contenha ao menos uma descrição (e agradecemos mais tipo de conteúdo, como um vídeo tutorial sobre como utilizar o produto em questão). Noutras palavras: os e-Commerce que atualmente apenas oferecem o nome e uma fotografia poderão encontrar sérios problemas com esta atualização.

O motivo? Como anunciou o próprio Matt Cutts, a Google não quer que os comerciantes que aparecem nas primeiras posições dos rankings de pesquisa ofereçam uma experiência de uso pobre.

Para concluir, desde Fevereiro de 2011 prima a qualidade sobre a quantidade. Vale a pena esforçar-se e dedicar recurso para criar um bom conteúdo porque verá a recompensa do seu esforço.

Que lhe pareceu este artigo? Gostaria de aprender mais sobre Marketing online? Nesse caso, clique no link!

Pós-graduação em Marketing Digital e Social Media

Aprenda a planejar e administrar estratégias nas redes sociais para desenvolver a sua empresa

Quero saber mais!

Compartilhe e comente este post!

One thought on “Google Panda: como funciona”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Captcha loading...

IEBS NAS REDES

PRÓXIMOS EVENTOS

BUSCAR NO BLOG