Big Data

Tendências, novidades, notícias e dicas do mundo do Big Data

Big Data

23 dez 2020
1 comentarios

Como aplicar Big Data no marketing: usos e benefícios

1 estrela2 estrelas3 estrelas4 estrelas5 estrelas (Média: 5,00 de 5)
Loading...

Quando ouvimos falar de Big Data, geralmente pensamos em algo enorme e gigantesco e relacionado a números. Algo que às vezes nos assusta ou intimida. E é verdade que Big Data é algo grande, mas ao mesmo tempo é algo que pode ser canalizado de forma controlada e que pode te ajudar a ter sucesso em sua empresa. A seguir, explicamos como aplicar Big Data no marketing, não perca!

Pode lhe interessar: MBA em Digital Business

Quando falamos sobre Big Data, muitas definições certamente vêm à mente. É um novo tipo de dado, é informação em tempo real, é uma nova tecnologia. Poderíamos dizer que é um pouco de tudo e não seria errado assumir várias definições ao mesmo tempo. O Big Data é um termo que descreve o grande volume de dados, tanto estruturados quanto não estruturados, inundando os negócios todos os dias. Big Data pode ser analisado para obter insights que levam a melhores decisões e movimentos estratégicos de negócios.

Como aplicar Big Data no marketing? 

Uma das coisas mais complexas sobre o Big Data é a taxa em que ele evolui. Antes tínhamos poucas fontes de informação, mas cada vez mais temos novos recursos para obter mais dados. Alguns exemplos seriam redes sociais, GPS, wi-fi, etc. A velocidade com que recebemos esses dados também está crescendo. Isso torna difícil decidir quais são úteis e quais não são. Ou seja, verificar sua veracidade.

Big Data é a maior e melhor ferramenta que os profissionais de marketing podem usar em suas campanhas e estratégias. A seguir, veremos uma lista dos usos que podem ser feitos do Big Data em marketing:

  • Desenvolver estratégias de marketing personalizadas: criar estratégias de comunicação adaptadas aos nossos clientes. De acordo com seus gostos, seus dados geográficos e todo tipo de informação.
  • Ter visões de negócio mais precisas: tradicionalmente, as empresas trabalhavam com tabelas do Excel que continham os dados coletados e enviados a todos os departamentos. Hoje em dia, o Big Data permite criar uma estrutura única de dados, sem perder dados entre departamentos.
  • Ajuda na segmentação de clientes: previamente analisávamos os clientes e víamos como eram classificados de acordo com suas características. Estratégias aplicadas durante meses foram realizadas para comparar os resultados do início com os do fim. Hoje, podemos ver mês a mês e semana a semana como os clientes estão evoluindo e, assim, focar nas estratégias em tempo real.
  • Oportunidades de caça em vendas: a partir das segmentações podemos ver com mais detalhes como os clientes mudam. Também podemos localizar oportunidades de negócios com base nele. Por exemplo, podemos ver quais produtos o cliente visitou ou comprou e recomendar outro produto semelhante ou complementar.
  • Tomar decisões mais precisas em tempo real: se eu colocar um produto à venda em um determinado horário, em um determinado local, com o real time e o Big Data podemos ver como aquele produto está vendendo e tomar decisões com base nos resultados.
  • Para detectar e evitar a perda de clientes: podemos ver com padrões como os clientes se comportam e detectar o que vai fazer com que o cliente abandone a compra ou acabe por fazê-la.
  • Para detectar fraudes: da mesma forma, podemos ver como as pessoas fazem o pagamento e em quais frentes estamos vulneráveis ​​no nível de segurança.
  • Acompanhar as tendências do mercado: graças aos dados, podemos ver como as pessoas desenvolvem sentimentos sobre nossa marca, sejam eles positivos ou negativos. 
  • No planejamento e na previsão: podemos prever como será o negócio com maior probabilidade de sucesso. Graças à imensa quantidade de dados poderemos ter um planejamento mais preciso.
  • Para melhorar a análise de custos: causa e efeito do acima. Se tivermos melhor previsão e planejamento, também veremos melhor os custos que isso representará.

Marketing personalizado graças ao Big Data

Com todas as informações que o Big Data nos fornece, podemos extrair dados fundamentais sobre o cliente: quais produtos interessam à marca, quais produtos estão relacionados ao seu interesse… Com essas informações podemos criar estratégias que o orientem no processo de compra para certifique-se de concluí-lo com sucesso ou podemos classificar quais campanhas publicitárias enviar para você e quais não funcionariam.

A chave é saber quando e onde os clientes estão ouvindo você para ir lá e abordá-los. Por dia, em média, podemos receber 10 emails promocionais. A maioria de nós nem mesmo os abre e eles vão direto para a lata de lixo. As empresas devem ser capazes de identificar se o cliente deseja ou não receber aquele e-mail e aquela informação para não perder tempo e dinheiro na busca por clientes que não desejam ser encontrados.

segmentação do cliente é outra parte importante do marketing personalizado. Podemos segmentar clientes de várias maneiras, mas a segmentação não é estática, ela muda. Por exemplo, podemos segmentá-lo de acordo com:

  • Comportamento de compra: podemos ver o que compra, com que frequência, quanto dinheiro gasta, etc.
  • Comportamento de consumo: podemos categorizar os produtos e ver se o usuário compra apenas uma categoria ou várias, tentar fazer recomendações e estudar se funcionam, etc.
  • Interação com a marca: nem todos se comportam da mesma forma em relação à marca, devemos classificar os clientes de acordo com os produtos que veem, se interagem nas redes sociais, etc.

Outra característica da personalização graças ao Big Data é encontrada na criação de redes de influência. Consiste em identificar melhor a aquisição de clientes por meio de outros clientes que já possuímos. Analisando as mídias sociais e campanhas do MGM (um membro recebe outro membro). Com os novos dados é possível detectar quais são os relacionamentos de nossos usuários. Se se conhecem, se agem de forma diferente perante os mesmos estímulos, se são bons divulgadores da marca (ou seja, partilham tudo nas redes e com os amigos), etc.

O que fazemos com todos os dados?

Para gerenciar o Big Data, o Business Intelligence entra em jogo. Esta disciplina evolui tentando se adaptar ao ritmo dos dados. Com Business Intelligence nos referimos a metodologias e tecnologias que nos permitem extrair, analisar e transformar dados em informações úteis. Seu objetivo é criar estratégias diferenciadas que se adaptem às necessidades específicas de cada empresa.

O que você achou deste artigo sobre como aplicar Big Data ao marketing? Comente e compartilhe!

Já antecipávamos há um tempo que Big Data se tornaria a tendência este ano. Também que seria um dos perfis mais procurados no mercado de trabalho. Se você deseja entender o Big Data no contexto dos negócios digitais, deve conhecer o MBA em Digital Business da IEBS. Solicite informações agora e comece a trabalhar no seu futuro!

MBA em Digital Business

Quero conhecer!

Compartilhe e comente este post!

One thought on “Como aplicar Big Data no marketing: usos e benefícios”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Captcha loading...

IEBS NAS REDES

PRÓXIMOS EVENTOS

BUSCAR NO BLOG