SEO/SEM

Tendências, novidades, notícias e dicas do mundo do SEO/SEM

SEO/SEM

22 jan 2019
1 comentarios
Tags: SEO

Tendências SEO 2019 que um SEO deverá ter em conta

1 estrela2 estrelas3 estrelas4 estrelas5 estrelas (ainda sem avaliações)
Loading...
Tendências SEO 2019

Nos últimos anos, vimos como no mundo SEO (o Posicionamento em Motores de Busca) muitos webmasters e profissionais de SEO passaram momentos extremamente críticos mas também de êxito. O Google, maior motor de busca do mundo, não deixa de inovar e melhorar o seu algoritmo para que este seja cada vez menos artificial e se pareça o máximo possível a um humano. Por este motivo, no post poderão ver as principais previsões ou tendências SEO para este ano que ainda agora começou.

Índice de conteúdos:

  • Experiência de usuário, pilar da estratégia SEO
  • Voice Search: Mudanças na nossa maneira de pesquisar
  • Be Mobile
  • O vídeo, o rei do conteúdo digital
  • A importância do CTR no SEO
  • Arquitetura e Estruturação Web
  • Crawl Budget para optimizar conteúdo

Estas mudanças provocam, inevitavelmente, mudanças de estratégia SEO, caídas e subidas de tráfego e, o mais importante, uma necessidade de atenção constante por parte dos profissionais de SEO voltada para as notícias que, desde o Google, surgem e se rumorejam.

À imagem do que acontece todos os anos, existe uma quantidade enorme de tendências para o novo ano. Para que ninguém se surpreenda e tenha tudo preparado para adaptar-se às incessantes mudanças que vão surgir no âmbito online, hoje trazemos as Tendências de SEO para 2019, apontadas por especialistas em Posicionamento SEO e alguns professores da IEBS, tais como: Jorge Gonzalez, Miguel Pascual, Montse Mansilla, Sergio Castelo, Andrés Sola e Manuel Pérez.

Previsão das tendências SEO 2019 segundo os especialistas

Experiência de usuário, o pilar de toda a estratégia SEO

A experiência do usuário continua a ser um dos maiores objetivos do Google. Oferecer aos usuários o conteúdo de que está à procura, sem distrações e da forma mais original e rápida possível sempre foi o seu maior objetivo. É por isso que aquelas webs que cumprem os requisitos e diretrizes do Google têm vantagem quanto a posicionamento nos rankings das SERPs.

Como diz Sergio Castelo, Consultor SEO, “o usuário é o rei”. Isto é algo que, se estuda ou já estudou na IEBS estará cansado de ouvir de todos os nossos professores. “É importante saber que para conseguir um bom posicionamento é fulcral trabalhar com a “intenção de pesquisa” dos usuários para assim poder resolver as necessidades que estes apresentam. Segundo Castelo, nos dias que correm, este é um dos fatores mais relevantes no SEO por tudo aquilo que implica. Ainda que não seja novidade, continuará a ser primordial no posicionamento web em 2019, sobretudo se tivermos em conta a pesquisa por voz, este “novo” formato de consultas em motores de busca através dos assistentes virtuais, tais como o Cortana, Siri ou Google Now, que está previsto  que inundem as consultas de google nos próximos anos (a metade das pesquisas serão por voz em 2020, segundo a Comscore).

Para Miguel Pascuel, CEO da INTERDIGITAL.es e professor da Pós-graduação em SEO na IEBS, o segredo está em “trabalhar para o seu usuário sem deixar de olhar para o que faz o Google, que tenta entender as webs tal e como o faz um usuário normal e corrente, mas nem sempre o consegue.

“Se os seus usuários adoram a sua página web, o Google vai perceber isso e dar-lhe-á os melhores rankings. Se o odeiam, o Google também o detectará. O que se deve fazer para evitar este segundo cenário? Trabalhar para que o adorem, a menos que a sua página seja mais do agrado do Google que a dos seus concorrentes diretos. Analise o serviço e a oferta da sua concorrência e trabalhe para melhorá-la e dar satisfação ao usuário.”

Rankbrain e sinais de UX: o Google cada vez mais afina os resultados de pesquisas perantes os queries dos usuários. O RankBrain é o componente do algoritmo, baseado na inteligência artificial, que trabalha mais neste aspeto. Assim destaca Manuel Pérez e resume que o que faz o RankBrain é identificar solicitações não previstas, centrando-se na semântica e na compreensão das petições, intenções de pesquisa. Por exemplo, a query “apple” poderia ser interpretada para diferentes intenções de pesquisa, dependendo de se é a marca tecnológica ou a própria fruta.

Para Manuel Pérez, o RankBrain dá muita importância ao Dwell Time na hora de interpretar as melhores queries e, por conseguinte, oferecer o que verdadeiramente lhe interessa ao usuário, pelo que os sinais da experiência de usuário também continuaram a ser um fator fundamental. Se a sua página web responde à pesquisa do usuário mas a sua UX é nocivo, o usuário muito provavelmente voltará ao SERP e o Google armazenará este sinal e te-lo-á em conta como um fator importante de classificação.

Andrés Sola, consultor SEO e professor do Master SEO, também confirma que “é vital aproximar-se cada mais e contribuir com mais valor para o usuário, entendendo cada vez mas as intenções de pesquisa e mostrando resultados cada vez com maior precisãocom base na intenção.”  

Voice Search: Mudanças na nossa maneira de pesquisar.

Segundo os dados oferecidos pela TechCrunch, um em cada seis estadunidenses já possui um altifalante inteligente ou “assistente virtual”.

Em 2018, o nosso SEO Manager e professor na escola Manuel Pérez já nos alertava para esta tendência: “especialmente o target mais jovem, pesquisa através da SIRI, Cortana, entre outros. A verdade é que tal a repercussão  que tem este hábito na hora de realizar consultas dos usuários, que desde que Alphabet lançou o Google Now, é sinónimo de que o algoritmo se vai centrar muito em detectar as queries dos usuários ao pesquisar por voz e dar-lhe as respostas que procuram. Por este motivo e entrando naquilo que será a seguinte categoria, a optimização onpage com base na Q&A torna-se também mais importante”.

Além disso, Pérez advertia sobre a importância de “cuidar o conteúdo do blog, utilizando as Q&A para a elaboração de conteúdos. Porquê? Porque o Google está a dar muito peso às possíveis perguntas dos usuários (chegou até a lançar a opção de declarar as FAQs com Schema, para que apareçam como snippets) e, para isso, está a investir cada vez mais esforços em incluir estas possíveis perguntas e respostas nos SERPs”. A sua recomendação é “otimizar o conteúdo mediante headings baseados em perguntas e conteúdos em respostas, é sem dúvida uma garantia de tráfico que num futuro pode ser quase obrigatório.”

Q&A Preguntas y Respuestas SEO

A especialista em SEO e Análise Web mas também professora, Montse Mansilla, conta-nos que “este número não deixa de aumentar e segundo previsões realizadas pelo Google para 2020, as pesquisas por voz poderão alcançar a barreira dos 30%. Os “assistentes virtuais” vão aperfeiçoar dia a dia os seus sistemas, reduzindo as suas taxas de erro e aumentando, assim, a confiança dos usuários.  

Esta nova trajetória até ao “voice Search” provoca uma mudança na forma de pesquisar. Segundo dados de especialistas, 70% das “queries” ao Assistente da Google vão passar a realizar-se baseando-se na linguagem natural.

Isto significa que o reinado das keywords tal como as conhecemos agora vão desaparecer? Pode ser que sim, pelo que a chave vai ser a criação de conteúdo que se adapte às pesquisas de voz.

Vamos continuar a falar de autoridade domínio, velocidade de carga e do resto dos aspetos técnicos que já temos em conta mas, afinal, um dos pontos essenciais vai ser que sejamos capazes de criar conteúdo que seja resposta às novas formas de pesquisar dos usuários.

Ao longo do tempo, 2019 será sem dúvida o ano da “intenção de pesquisa”. Desde o ponto de vista de SEO, o segredo no posicionamento irá andar à volta de ser a melhor resposta para o usuário, realize este a pequisa desde um dispositivo móvil, um navegador ou um dispositivo por voz”.

E Mansilla conclui dizendo que o Google deve ser entendido como motor de perguntas: “Temos de ser capazes de integrar a intenção de pesquisa dos nossos usuários e responder a elas com conteúdo que, de uma forma clara e fidedigna, responda à “intenção de pesquisa”.

Sem dúvida, será algo a ter muito em conta nos próximos anos, pelo que lhe oferecemos estas tendências SEO 2019.

O CMO de Adrenalina, digital Growth e diretor do Master SEO, Jorge Gónzalez, também opina que “a pesquisa por voz vai marcar uma das mudanças mais importantes neste 2019, o que irá influenciar na importância do etiquetado semântico e na forma como trabalharemos os conteúdos. Começou a caça aos Featured Snippets!

A qualidade e utilidade do conteúdo continuará a marcar a mudança até onde o Google valoriza a interação e o comportamento do usuário como um dos factores.

Unido a esta questão, a experiência de usuário continuará na linha onde continuamos a ter que trabalhar; webs tecnicamente

Unido a este punto, la experiencia de usuario seguirá en la línea donde seguimos que seguir trabajando, webs técnicamente intocadas, seguras, rápidas e bem optimizadas. O Mobile First Index já é uma realidade.

Be Mobile: continuará a ser tendência SEO em 2019.

Seguindo a linha que marca gonzález, “o Mobile First Index já é uma realidade”. Os dados são claros, o tráfego móvil já supõe um 94% do total das empresas com as que trabalho que têm umas 500.000 sessões mensais, o que faz com que seja imprescindível optimizar ao máximo as versões em pequenos dispositivos para conseguir um bom rendimento e uma boa experiência de usuário.

A professora Mansilla destaca que “a indexação Mobile é outro dos pontos-chave. À medida que se incrementou o tráfego móvel, é inegável que todas as páginas web serão obrigatoriamente adaptadas a dispositivos móveis.

Uma deficiente experiência Mobile pode levar a uma considerável diminuição de fatores que intervêm no posicionamento SEO, tal como a taxa de rebound ou o tempo de carga.”

E termina destacando que “tudo isto significa que 2019 é definitivamente o momento ser Mobile ou não ser.”

O vídeo, o rei do conteúdo digital

No decorrer do ano passado, já se notou um aumento na poupularidade do vídeo. O Youtube é o segundo motor de busca com mais tráfego na Internet, o que supõe uma grande oportunidade. Em 2018 já avançavamos que “o posicionamento SEO neste canal é algo que ainda está por desenvolver. Existem milhentos nichos de mercado que não estão trabalhados nem optimizados em formato audiovisual, o que supõe uma oportunidade estupenda para ganhar ganhar visibilidade, autoridade e, como tal, mais tráfego e negócio de uma maneira rápida e original.”

Sem dúvida, incluir o o formato de vídeo contextualizado no conteúdo, contribuirá com mais valor e melhorará dados como a taxa de permanência. Recorde que poderá declará-lo com dados estruturados Schema com o Type VideoObject.

A importância do CTR no SEO também será tendência SEO

CTR: Os SERPs estão a mudar cada vez mais o seu design, com fragmentos enriquecidos com listas, carrusels, quick answers box, recentemente as FAQs… entre muitas outras. Assim, cabe destacar as pesquisas orgânicas a partir de dispositivos móveis que, desde 2015, baixou um 41.4% em CTR orgânico. É por isso que qualquer profissional de SEO irá converter-se num verdadeiro “escultor de SERPs”, com a finalidade destacar da melhor forma dentro dos resultados de pesquisa, analisando como aparecem perante determinada query, para o caso de existirem fragmentos enriquecidos ou destacando com bons CTAs, tanto o título como a descrição.

Arquitetura e Estruturação Web

Andrés Sola, destaca que há fatores que ganharam alguma importância, como a arquitetura web e a popularidade dos autores (o que se conhece habitualmente como E-A-T) e provavelmente este ano continuarão a ganhar maior influência.

Crawl Budget para otimizar conteúdo

Como avançava Sergio Castelo no ano passado, o Crawl Budget ou orçamento de rastreio trabalhou-se muito em 2018. Os crawler são melhor conhecidos como aranhas o bots do Google, ou seja, são eles que se encarregam de fazer o rastreio e análise das diferentes páginas web. O Crawl Budget é o que se denomina “orçamento de rastreio”. A grande maioria de proprietários web tinham uma ideia global de SEO focada sobretudo na optimização do conteúdo e na sua estrutura.

Durante 2019, o Crawl Budget continuará a ser um elemento importantíssimo a trabalhar se se quer melhorar o posicionamento de conteúdos.

Está preparado para colocar em prática todas estas tendências?

 

Master em Marketing Digital e Web Analytics

O que vou aprender?

Solicitar Admissão

Compartilhe e comente este post!

One thought on “Tendências SEO 2019 que um SEO deverá ter em conta”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Captcha loading...

IEBS NAS REDES

PRÓXIMOS EVENTOS

BUSCAR NO BLOG