Marketing Digital

Tendências, novidades, notícias e dicas do mundo do Marketing Digital

Marketing Digital

04 nov 2019
Seja o primeiro em comentar

As principais fontes de tráfego para gerar leads

1 estrela2 estrelas3 estrelas4 estrelas5 estrelas (Média: 5,00 de 5)
Loading...

As campanhas publicitárias, como tudo o mais, mudaram com a revolução digital. No mundo em constante mudança do marketing, você precisa se adaptar ou perecer. Para ser um daqueles que continuam a evoluir e a crescer, você precisa ter um conhecimento profundo das ferramentas que podem ajudá-lo em seu trabalho. É por isso que aqui compartilhamos as principais fontes de tráfego que você deve usar para gerar leads de qualidade.

Você também pode estar interessado: Como conseguir leads e clientes com o Inbound Marketing

Índice do Conteúdo:

Origens de tráfego do Google

Para iniciantes, algumas ferramentas essenciais no seu arsenal de publicidade são as do Google Ads: Pesquisa do Google e Display do Google.

Pesquisa do Google

Este é o único canal pull no mercado junto com o Bing Ads. O que isso significa? Bem, os mecanismos de pesquisa como fontes de tráfego nos permitem coletar uma demanda existente no mercado, porque o usuário está procurando ativamente o que deseja. E nós estamos lá, prontos para dar a ele.

Havendo mais intencionalidade, porque os usuários sabem o que querem e procuram, o tráfego gerado por esses tipos de campanha tem uma qualidade muito alta. É muito mais provável que os leads que você chegar aqui acabem comprando seus serviços ou produtos, portanto a taxa de conversão também é alta.

Quando você usa a Pesquisa do Google para suas campanhas, é importante considerar a relevância do conteúdo do seu anúncio. Ou seja, as palavras-chave que você usa, o próprio anúncio e a página de destino devem estar relacionadas. Não leve seus leads a uma página de destino genérica, pois é mais fácil para eles perder o interesse. É importante que você tenha conteúdo relevante para a pesquisa de usuários para ser mais eficaz.

Por exemplo, se você deseja anunciar seguro de carro, usará “seguro de carro” ou “seguro de carro” como palavras-chave, e a página de destino do site do seguro não será a página inicial, mas a página que contém as informações sobre seguro de carro.

Usar poucas palavras-chave, mas criar mais de um anúncio com palavras-chave diferentes, mas muito específicas em cada uma delas também pode ser muito eficaz. É recomendável criar 2 ou 3 anúncios com variações por grupo de anúncios. Você pode modificar os criativos, as palavras-chave e o texto do anúncio. Além de ajudá-lo a alcançar um público-alvo mais amplo, você também pode tentar estratégias diferentes para ver qual delas oferece os melhores resultados.

Não se esqueça de aproveitar a correspondência ampla modificada para não perder nenhum lead, mas negue palavras que não lhe interessam ou que não são aplicáveis. Por exemplo: se seu produto tem um preço considerável, ele é “barato” para garantir a qualidade do tráfego gerado por suas campanhas.

Google Display

Essa é uma das origens de tráfego que permite criar uma segmentação muito avançada para suas campanhas. Você também tem a opção de usar anúncios adaptáveis, que consistem em uma foto com texto que se adapta (daí o nome) a qualquer formato de banner ou anúncios gráficos para os quais você precisa criar banners de tamanhos diferentes, mas que permitem mais personalização.

O Google Display funciona usando CPC ou CPM, como a maioria dessas ferramentas. Para tirar o máximo proveito disso, é aconselhável jogar com whitelists e blacklists. As whitelists permitem que você escolha páginas confiáveis para publicar seus anúncios e trabalhar com elas. As blacklists funcionam de maneira complementar: permitem bloquear páginas duvidosas.

Não é recomendado bloquear páginas que saem como “anonymous” por defeito. As páginas que aparecem como tais não são duvidosas ou de baixa qualidade, mas possuem grandes meios de comunicação por trás; portanto, se você as bloquear, perderá o tráfego que elas podem gerar.

Não se esqueça de experimentar diferentes formatos de anúncio para ver o que funciona melhor.

Anúncios nativos

Os anúncios nativos são um tipo de anúncio que se integra ao suporte, ou seja, eles não têm a aparência de anúncios, e a camuflagem não implica uma interrupção irritante na experiência do usuário. Uma das desvantagens dessas fontes de tráfego é que elas não possuem segmentações muito poderosas, mas compensam com uma ampla cobertura: cerca de 100% da população em alguns países.

Para usar anúncios nativos de maneira eficaz, uma boa estratégia é criar conteúdo relevante (na forma de um artigo ou postagem de blog ou algo informativo) e vincular seu anúncio a ele antes da página de destino, para que a transição não seja tão abrupta.

Separe campanhas e dispositivos móveis para celular e faça blacklists para otimizar suas campanhas.

Redes sociais como fontes de tráfego

Facebook Ads

Com essa ferramenta, você tem acesso a uma grande quantidade de dados do usuário, portanto não pode poupar no Big Data. A segmentação também é muito avançada, pois você pode usar todas as informações que os usuários compartilham na plataforma. O Facebook é uma das redes com o maior volume de leads, portanto, uma das fontes de tráfego mais poderosas.

No Facebook, você tem a opção de usar Lead Ads, um formato no qual o usuário não sai da página, um formulário que pode ser preenchido e enviado imediatamente é aberto. Esses tipos de anúncios são úteis para tudo, mas especificamente faz todo o sentido usá-los quando procuramos um lead impulsivo e o que oferecemos é muito simples: para alguém se inscrever em um ebook ou em um webinar, solicitar informações sobre um produto, assinar um serviço, etc.

Com acesso a tantas informações sobre tantas pessoas, o Facebook Ads oferece a oportunidade perfeita para experimentar diferentes públicos. Além disso, você também pode optar por usar lookalikes: públicos-alvo semelhantes ao seu banco de dados para gerar ainda mais leads e conversões.

Instagram Ads

Entre todas as fontes de tráfego, os anúncios do Instagram podem ter o maior potencial. O Instagram é a rede social com o maior engajamento, e todos esses usuários ativos são possíveis leads para suas campanhas.

O público do Instagram é mais jovem do que no Facebook; deve ser levado em consideração ao criar seus anúncios, para torná-los atraentes para o seu público.

Quanto à operação, o Instagram Ads é o mesmo do Facebook Ads (já que as campanhas precisam ser vinculadas a um perfil igual no Facebook), mas não hesite em experimentar o formato stories ads, uma estratégia especialmente eficaz nessa plataforma. Para fazer isso, você precisará gerar criativos específicos (1080 x 1920).

Twitter Ads

Nesta plataforma, você encontrará uma audiência com idade média acima do Instagram e do Facebook. O potencial de geração de leads também é menor que o Instagram e o Facebook. Portanto, é aconselhável usar essa fonte de tráfego apenas depois que o restante das redes sociais tiver sido totalmente explorado.

No caso de ser uma PME com um orçamento muito apertado, talvez seja aconselhável não investir no Twitter Ads no momento e alocar mais recursos para plataformas como o Facebook Ads que podem maximizar o ROI.

De qualquer forma, se você usa o Twitter para anunciar, pode experimentar o formato de vídeo e os cards para chamar a atenção dos usuários.

LinkedIn Ads

Nesta plataforma, os anúncios funcionam mais como publicidade B2B. O custo das campanhas geralmente é maior do que em outras redes sociais, mas também tende a gerar leads de maior qualidade. É recomendável comparar a CPL (custo por lead) com a CPA (custo por aquisição do usuário) para ter uma idéia clara do nível de sucesso dos seus anúncios.

A publicidade programática

A publicidade programática é um processo inovador no qual, usando a tecnologia, é possível comprar e vender inventário de publicidade por meio de processos automatizados e orientados a dados. Isso permitiu acelerar todo o processo de publicidade, economizar tempo e maximizar o impacto das campanhas publicitárias, especialmente com uma boa estratégia de segmentação e planejamento de público.

O modelo de compra de publicidade está calculando o CPM (custo por 1.000 impressões) e as transações podem ocorrer de quatro maneiras:

  • Leilão aberto (RTB): onde compramos cada impressão em tempo real. Usado pela maioria.
  • Leilão privado
  • Preferred deals: contrato com um website a um preço através de DSP
  • Programmatic garantido

Os investimentos nesse modelo de publicidade geralmente são altos, mas nenhum outro permite tanta flexibilidade e controle em tempo real sobre campanhas e dados de usuários obtidos.

Não se esqueça de usar Whitelists e Blacklists com os dados que você obtém e o público para otimizar seus anúncios. Os algoritmos não são mágicos, por facilitarem o processo, também precisamos fazer nossa parte para tirar proveito deles.

Remarketing

Antes, uma estratégia, não uma fonte de tráfego propriamente dita. Mas merece ser mencionado. O remarketing nos permite impactar novamente um usuário que nos visitou e não se converteu e pode ser usado em todas as plataformas que vimos.

Para ser eficaz, é importante não aborrecer. Dê tempo aos usuários e não desperdice energia com alguém que simplesmente não está interessado. Melhor investir esses recursos em leads mais promissores.

Uma boa tática é criar um copy que gere escassez e urgência, do tipo: últimos lugares em X, desconto válido até X dia. Isso incentiva os usuários a agir rapidamente para não perder a oportunidade.

Origens de tráfego para PMEs vs. grandes empresas

Tanto para grandes empresas quanto para PMEs, as estratégias de captura de leads não precisam ser diferentes e praticamente as mesmas fontes de tráfego podem ser usadas.

As PMEs têm a vantagem de que geralmente precisam de um volume menor de leads e não têm o problema da “escala” de uma empresa grande, que precisa estar disposta a assumir um CPL mais alto se desejar optar por volumes muito grandes de leads.

Por outro lado, uma PME geralmente possui menos recursos para experimentar coisas novas por recursos econômicos ou humanos limitados, e uma grande empresa tem mais facilidade para isso. Do ponto de vista econômico, uma grande empresa pode se dar ao luxo de quebrar até mais tarde que uma PME , portanto, ela deve ser mais imaginativa que uma grande empresa para obter uma CPL mais baixa.

Agora é a sua vez! Torne-se um especialista em marketing digital com nosso Master em Marketing Digital e Web Analytics, onde você pode aprender as estratégias de marketing mais eficazes de professores experientes e reconhecidos em seu setor e criar campanhas publicitárias que farão com que sua empresa se destaque.

Master em Marketing Digital e Web Analytics

Aprenda as estratégias de marketing mais eficazes com professores experientes e reconhecidos em seu setor

Quero conhecer!

Compartilhe e comente este post!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Captcha loading...

IEBS NAS REDES

PRÓXIMOS EVENTOS

BUSCAR NO BLOG