Marketing Digital

Tendências, novidades, notícias e dicas do mundo do Marketing Digital

Marketing Digital

28 abr 2021
Seja o primeiro em comentar

O que é Flywheel no Inbound Marketing?

1 estrela2 estrelas3 estrelas4 estrelas5 estrelas (Média: 5,00 de 5)
Loading...

Se você já ouviu falar que os funis de vendas podem estar seus dias contados, isso pode ser uma meia verdade. Embora muitos especialistas acreditem que esse não seja o caso, houve uma mudança na maneira como os profissionais de inbound marketing trabalham dentro da empresa para atender melhor o cliente. Neste post vamos falar sobre o que é Flywheel, um conceito que veio romper com os paradigmas do marketing digital. Vem com a gente?

Também pode lhe interessar: MBA em Marketing Digital

O que é Flywheel?

O modelo Flywheel é um novo modelo de Marketing proposto pela HubSpot que tenta substituir o funil tradicional ou modelo de funil de vendas. Este Flywheel não tem início e fim (como é o caso de um funil tradicional) e está em constante movimento (girando).

A estrutura Flywheel enfatiza o relacionamento entre a empresa e o cliente como se fosse um ciclo. Este é um loop infinito em que os clientes podem continuar a interagir com a empresa (e vice-versa), mesmo após o término da transação.

Nesta imagem podemos ver como se estrutura este ciclo de interação entre o cliente e a empresa:

¿Qué es el Flywheel en Inbound Marketing?  - HubSpot Inglês Flywheel
Estrutura do modelo Flywheel

Outra vantagem desse modelo é que ele introduz o conceito de impulso ou inércia. Este conceito é muito fácil de visualizar com um pequeno exemplo. Imagine uma roda muito pesada no topo de uma montanha que dificilmente conseguimos girar. No início, teremos que fazer muito esforço para girar, mas então a própria gravidade nos ajudará a continuar girando. Dizemos que então a roda entra em inércia.

O mesmo acontece com nosso modelo Flywheel e com aquela roda pesada, mas aplicado à nossa estratégia de Inbound Marketing. Por se tratar de um modelo que incorpora os próprios clientes para transformá-los em recomendadores de nossa marca, quanto melhor realizarmos as diferentes fases do modelo Flywheel, mais rápida e melhor se tornará a estratégia de marketing.

Isso nos permitirá gerar inércia de longo prazo e uma estratégia de conteúdo vencedora.

Uma boa experiência do cliente levará a mais compradores, o que, por sua vez, levará a mais vendedores. Um número maior de vendedores reduzirá custos e preços por meio da competição e, ao mesmo tempo, fortalecerá a seleção de clientes. Preços mais baixos e maior seleção atrairão mais clientes, e o ciclo se repete.

Diferenças entre o modelo Flywheel e o funil tradicional

Uma das coisas mais importantes que devemos levar em conta para implementar bem um modelo Flywheel são as diferenças que ele tem em comparação com um funil de vendas tradicional.

O primeiro e mais importante é o lugar que o cliente ocupa. Enquanto no funil tradicional (imagem à esquerda) vemos que o cliente é um sujeito passivo que percorre as diferentes partes do nosso funil de vendas, no modelo Flywheel o cliente ocupa uma posição central no processo e tudo será projetado em volta dele.

Isso porque o cliente agora SIM faz parte de nosso próprio conteúdo. Um cliente satisfeito é o melhor conteúdo que podemos ter para impulsionar nossas vendas e devemos dar-lhes voz para serem ouvidos. É por isso que no modelo Flywheel a experiência do cliente é uma prioridade.

O que é Flywheel em Inbound Marketing?

As fases do modelo Flywheel

Para entender o que é Flywheel, é necessário conhecer as três fases de seu funcionamento. Vamos ver cada um deles em profundidade:

Atração

Como o próprio nome sugere, nesta primeira fase temos que criar conteúdos, experiências e formatos que sejam desejáveis ​​para o nosso público-alvo consumir. Em outras palavras, trata-se de gerar potenciais clientes garantindo que agregue valor ao público-alvo.

Diferentes táticas entram nesta fase:

  • Publicações no blog e marketing de conteúdo.
  • Estratégia de palavras-chave e SEO dentro e fora da página.
  • Presença nas redes sociais orgânicas e pagas.
  • PPC (Pay Per Click).

Durante a fase PULL, você está incentivando o cliente a iniciar a jornada do comprador por conta própria. Ao fornecer todo esse conteúdo útil (e gratuito), os clientes em potencial podem determinar se estão interessados ​​em trabalhar com a empresa. Se suas técnicas de inbound marketing estiverem focadas nesses públicos específicos, você os estará convencendo a agir de acordo com seus CTAs e pedir mais informações.

Compromisso ou Engajamento

Trata-se de estabelecer um relacionamento contínuo e de longo prazo com o target por meio do fornecimento de soluções, educação e atendimento personalizado em todo o processo de compra do cliente. As táticas da fase de engajamento incluem:

  • Campanhas de e-mail segmentadas.
  • Conteúdo incluído, como e-books, white papers e modelos para download.
  • Tempo individualizado, como demonstrações, consultorias e ligações iniciais.
  • Alto conteúdo gratuito, como vídeos de cursos ou webinars.
  • Oferecer uma versão gratuita do produto.

Muitas das técnicas na fase de engajamento podem ser vistas como respostas diretas aos problemas que os clientes apresentam às suas equipes de serviço. O departamento comercial também poderá utilizar o seu trabalho, disponibilizando-o aos clientes em caso de dúvidas nas suas comunicações.

Deleite

No que diz respeito ao armazenamento de memórias, sabe-se que eventos com carga emocional positiva são lembrados melhor do que eventos neutros. E é exatamente isso que queremos gerar nesta última fase. Faremos o possível para oferecer uma experiência incrível ao longo do percurso do cliente através dos nossos serviços de forma que guardem uma boa memória de nós.

As táticas da fase de deleite incluem:

  • Organizar eventos presenciais para seus clientes interagirem e continuarem sua formação.
  • Fornecer conteúdo exclusivo para “membros”, como e-books e webinars.
  • Campanhas de e-mail personalizadas.
  • Convites para testar novos recursos ou produtos.
  • Criar um programa de recomendação.

Esses são os clientes com os quais você pode trabalhar para criar estudos de caso, vídeos de avaliação de produtos e outro conteúdo gerado pelo usuário. 

Como medir o seu Flywheel para saber se você está fazendo certo

Tudo o que não é medido não existe e, portanto, não pode ser melhorado. Essa frase fala transversalmente a qualquer um dos níveis dentro de uma empresa. E também temos que aplicá-lo ao nosso Flywheel para saber se o estamos fazendo corretamente e para identificar áreas de melhoria.

Vale lembrar que em nosso modelo Flywheel tínhamos 3 estágios (Atrair, Envolver, Encantar) e cada um deles será composto por um conjunto de atividades.

Por exemplo, para atrair nosso cliente, poderíamos ter decidido criar conteúdo em nosso canal no YouTube ou em nossa página do Linkedin. Em cada um desses canais podemos começar a coletar métricas (número de assinantes, horas de visualização, tráfego gerado…) e analisar se os recursos econômicos investidos são lucrativos no final do funil. Tens de saber responder à seguinte questão: por cada € 1 que invisto na criação de conteúdos, quanto recebo no final para novos clientes?

O que é Flywheel em Inbound Marketing?  - Vídeo tutorial rafiki 1 1024x1024

Deseja se aprofundar no marketing? Se você quer aprender mais e se especializar em analytics e User Experience, precisa conhecer o MBA em Marketing Digital, para desenhar estratégias de marketing digital, otimizar a atração de tráfego, melhorar a conversão e a experiência do usuário.

MBA em Marketing Digital

Desenhe estratégias de marketing digital com maiores chances de sucesso.

Quero conhecer!

Compartilhe e comente este post!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Captcha loading...

IEBS NAS REDES

PRÓXIMOS EVENTOS

BUSCAR NO BLOG